Por Laura Souza

Hoje a série Estátuas do Rio conta um pouco mais da história de duas estátuas que ficam pertinho uma da outra. Localizadas no Jardim Botânico, Chacrinha e Otto Lara Resende enriquecem o bairro com suas memórias.

“Abelardo Barbosa está com tudo e não está prosa!”

Trabalhando no rádio e, principalmente, na televisão, entre as décadas de 1950 e 1980, José Abelardo Barbosa de Medeiros – o nosso Chacrinha! – fez muito sucesso apresentando programas de auditório e por ser um ícone como comunicador.

chacrinha-14
Chacrinha e sua famosa buzina

Irreverente, ousado e autor de frases célebres, como “Na televisão, nada se cria, tudo se copia” e “Quem não se comunica, se trumbica!”, o pernambucano tinha como companheiros inseparáveis em seus programas de calouros: a buzina, o bacalhau, o abacaxi e o humor debochado.

A estátua de bronze em sua homenagem foi inaugurada em 2010. O local escolhido foi na confluência das ruas General Garzón e Lineu de Paula Machado, por onde Chacrinha passava sempre que ia para o antigo estúdio da TV Globo, no Teatro Fênix. Com aproximadamente 1,90 m, a criação do escultor Ique mostra um Chacrinha sorridente, vestindo gravata borboleta e com uma buzina pendurada no pescoço, além de carregar um microfone e uma peça de bacalhau. Teresinha!!!

Chacrinha e seu criador, Ique
Chacrinha e seu criador, Ique

Duplamente imortalizado: Otto Lara Resente

O escritor e jornalista mineiro é um expoente em sua carreira. Começou a trabalhar como jornalista aos 18 anos, ainda em Belo Horizonte. Daí, não parou mais. Veio para o Rio, onde trabalhou em veículos importantes, como Última Hora, Jornal do Brasil, revista Manchete, jornal O Globo e TV Globo.

Com uma notável capacidade de expressão, Otto juntou-se aos amigos Fernando Sabino, Hélio Pellegrino e Paulo Mendes Campos e formou o grupo que foi batizado por ele como “os quatro mineiros de um íntimo apocalipse”. Eles se encontravam frequentemente, tanto em Minas Gerais quanto no Rio de Janeiro, para onde todos se mudaram depois, para discutir sobre política, literatura e outros assuntos – geralmente em um bar ou cafeteria.

Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Helio Pellegrino e Otto Lara Resende
Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Helio Pellegrino e Otto Lara Resende

Com diversas obras publicadas, em 1979, Otto foi eleito como membro da Academia Brasileira de Letras, na cadeira 39. Além de ser um imortal na ABL, ele também foi imortalizado na rua Jardim Botânico, onde fica sua estátua com um livro na mão e apoiada em uma mesa, como que convidando o pedestre a parar para uma leitura.

Otto Lara Resende
Otto Lara Resende

Fotos: Divulgação