Bechara está comemorando 60 anos de vida e 25 de carreira dedicada à arte. No entanto, segundo ele, todo dia se parece com o primeiro dia. Com uma “leve obsessão pelo porvir”, o artista afirma que está sempre pensando em fazer algo que leva tempo, como Fluxo Bruto.

Em cartaz no Museu de Arte Moderna, a mostra traz alumínio, mármore, madeira, placas de vidro, tinta e oxidação de emulsões de cobre e ferro, em obras tridimensionais, que se confundem com pinturas, e bidimensionais, que se aproximam de esculturas. O conjunto é composto por peças inéditas, algumas desenvolvidas a partir de obras anteriores, que ganharam novas ativações, contaminadas pelas demais peças e pelo espaço arquitetônico.

Fluxo bruto, que ocupa o Salão Monumental do MAM, tem curadoria de Beate Reifenscheid, curadora e diretora do Ludwig Museum (Alemanha). Em estado bruto, as obras foram construídas durante os dias de montagem e se apresentam em permanente alteração, movimentando-se e concluindo-se no trabalho a seguir. A arte em constante estado de mudança.

Serviço
Local: Museu de Arte Moderna – Av. Infante Dom Henrique, 85
Data: De 26 de julho a 5 de novembro
Horário: Terça a sexta, das 12h às 18h/ Sábado, domingo e feriados, das 11h às 18h
Ingresso: R$14

Mais informações, aqui!

Foto: site José Bechara