No início dos anos 2000, com a abertura do Aconchego Carioca, da chef Kátia Barbosa, a Praça da Bandeira passou a atrair os paladares dos moradores da cidade e dos turistas mais antenados e com mais tempo de curtir o Rio. De lá pra cá, o Aconchego se firmou no cenário carioca, outras casas abriram, algumas fecharam e as tradicionais, que estavam lá bem antes desse boom de sabores, se beneficiaram do pólo gastronômico que surgiu na região.

O Rio Book montou um roteiro delicioso para curtir esse bairro que, até a década de 1990, era só uma passagem para a Zona Norte ou para o Centro da cidade. As sugestões estão servidas! Voilá!


Bar Kalango
Escolhemos o caçula da turma para começar os trabalhos. Inaugurado no final de março de 2017, o Kalango é um “bar de comida afetiva nordestina” comandado pela mesma chef do Aconchego, Kátia Barbosa. O bar serve almoço diariamente e tem opções de petiscos, caldos e sanduíches. Entre os pratos, destaque para a clássica rabada com agrião e angu, já conhecida dos cariocas, e o original “Bode borgonhon na Jurubeba Leão do Norte”.

Rua Joaquim Palhares, 513 (entrada pela Rua São Valentim)
Tel.: (21) 2504-0088
De segunda a sábado, de meio-dia às 18h
Às sextas rola happy hour até às 22h!

 

rabada com agriao e angu KALANGO
A rabada com agrião e angu do Kalango

 


Mani & Oca
E já que o jerimum, ou aipim, ou mandioca, é o principal ingrediente da culinária nordestina, emendamos com o Mani & Oca, boteco que usa e abusa da raiz em petiscos, pratos, drinques e até sobremesas: os bolinhos com recheio cremoso de rabada são o “Mocinha Mani”; a lasanha de aipim, carne de sol e queijo de coalho é o Carimã (mandioca, em tupi); e o frozen de limão, vodca e mandioca batidos com gelo, servido sobre geleia de morango de produção própria ganhou o nome de “Neve no sertão”.

Rua Joaquim Palhares, 513, loja A
Tel: (21) 2522-9800
Segunda a quinta e feriados, de meio-dia às 22h; sextas e sábados, de meio-dia à meia-noite

mani e oca DIA melhor
Mani & Oca, versão dia

 


Aconchego Carioca

Essa é a primeira casa de “Katita”, como Kátia Barbosa é conhecida. Se você ainda não sabia, foi o bolinho de feijoada que fez a fama do Aconchego, com sua massa sequinha, recheada com couve, pedacinhos de bacon e servida com fatias de laranja e uma dose de batida de limão. O bar e restaurante produz muitas outras delícias, claro, como o bolinho de batata baroa, o camarão no coco (servido no coco verde mesmo) e a picanha de sol com salada de feijão fradinho.

Rua Barão de Iguatemi, 379
Tel.: (21) 2273-1035
De terça a sábado, de meio-dia às 23h; domingos, de meio-dia às 17h

(há filiais da casa no Leblon e na Barra da Tijuca)

picanha de sol com feijao fradinho ACONCHEGO
Aconchego com picanha de sol com salada de feijão fradinho


Bar da Frente
A sequência é inevitável, porque o Bar da Frente fica mesmo de frente para o Aconchego Carioca, do outro lado da rua. A casa é de Valéria Rezende e da filha, Mariana, especializadas em tira-gostos criativos, entre eles o convidativo “experimenta antes de dizer que não gosta”, uma porção de quatro croquetes de fígado bovino servidos com molho de cebola na mostarda escura. Pra acompanhar, 70 sugestões de cerveja, majoritariamente nacionais.

Rua Barão de Iguatemi, 388

Tel: (21) 2502-0176
De terça a sábado, de meio-dia à meia-noite; domingos, de meio-dia às 18h

bar da frente - arroz-de-puta-rica
Arroz-de-puta-rica. Só indo ao Bar da Frente pra saber o motivo do nome…

 

Bar e Lanchonete Rex
Interrompemos nossa programação de bares bem decorados e com menus assinado por chefs, para dar todo o merecido destaque ao Rex, pé-sujo de aparência e cardápio clássicos. O lugar serve todas as carnes típicas de um boteco, mas é famoso pelo frango assado preparado na churrasqueira a carvão e com um tempero de ervas que causa amor à primeira mordida. Cerveja, chopp e a batida “coquinho” molham o bico.

Rua do Matoso, 7
Tel: (21) 2273-0749
De terça a domingo, de meio-dia ao último cliente

o famoso frango assado do Rex (foto Eduardo Goldenberg)
O frango do Rex é assado na churrasqueira a carvão

 


Choperia Galeto Bandeira
O assunto é frango e disso a Choperia Galeto Bandeira entende bem. E bota referência nisso: existe desde 1978! O nome de um dos pratos parece não sair de moda nunca, o “CPI”: galeto com farofa à brasileira e batata frita. E o horário nos sábados e feriados é uma atração a mais para os notívagos e insones (característica cada vez mais rara nos botecos do Rio).

Praça da Bandeira, 43
Tel: (21) 2273-8992
De domingo a quinta, das 10h às 2h; sextas, sábados e feriados, das 10h às 4h


Botto Bar

Única casa desse roteiro com (ótima!) música ao vivo, para quem gosta de jazz, blues e rock´n´roll, o Botto Bar tem como ponto forte 20 torneiras de chopes nacionais e importados, várias vezes premiados, cuja seleção tem a assinatura do mestre cervejeiro Leonardo Botto.  Para comer, sugerimos o bolinho de carne alemão “Frikadellen” e os croquetes de quatro queijos empanados com macarrão cabelinho de anjo, ao molho de damasco.

Rua Barão de Iguatemi, 205
Tel: (21) 3496-7407
De segunda a quinta, das 17h ao último cliente, e de sexta a domingo, das 15h ao último cliente
(em 2016, Botto abriu filial no polo gastronômico Vogue Square, na Barra da Tijuca)

Salão do Botto Bar: cultura cervejeira premiada
Salão do Botto Bar: cultura cervejeira premiada

 


Noo Cachaçaria
Cansou da cerveja e do chopp? A Noo tem cachaça, e como tem! São mais de 80 marcas brasileiras, além de batidinhas artesanais. Para petiscar, coxinha de galinha sem massa (uma camada de catupiry empanada e frita envolve o frango desfiado); “pasteis de vento”, à espera da combinação de recheios pelos clientes; e o “Cucuruqui”: bolinhos de tapioca, queijo e linguiça.

Rua Barão de Iguatemi, 358

Tel: (21) 3689-4388
Quartas e quintas, de 18h às 22h; sextas e sábado, das 17h às 23h

noo
As batidinhas do NOO são uma de suas atrações


Forneria Santa Filomena

A culinária artesanal mistura Brasil e e Itália em petiscos, massas, risotos, grelhados e sanduíches, além de cafés e cervejas especiais. Uma das marcas do menu são as empadas de massa semi-integral, com fartos recheios criativos, como de abóbora com alho negro e gergelim, pato com laranja e galinha com mostarda. Entre os pratos, o estrogonofe de alcatra e cogumelos frescos é queridinho dos frequentadores.

as empadas de massa integral, carro-chefe (FOTO destemperados)
Empadas abertas e com fartos recheios inusitados: criação da Santa Filomena

Rua Santa Filomena, 10
Tel: (21) 3518-2053
De terça a sábado, de meio-dia às 23h; domingo, de meio-dia às 21h

Rampinha
Para fechar essa turnê da gula, escolhemos, ora pois, um português tradicionalíssimo na área, o Rampinha, onde não poderiam faltar receitas típicas da terrinha, como o bacalhau ao Zé do Pipo (gratinado com queijo tipo raclette, purê, brócolis, alho e maionese) e o coelho ao molho de vinho tinto, servido com arroz de tomate e batata corada. A casa é conhecida por servir porções bem fartas. Para arrematar, que tal pastel de Belém ou toucinho do céu?

Praça da Bandeira, 201
Tel: (21) 2273-7647
Todos os dias, das 11h à meia-noite.