Com o nada modesto título de maior exposição de poesia do Brasil, a reunião do trabalho de mais de 500 autores contemporâneos – brasileiros e estrangeiros – em instalações que agregam linguagens multiartísticas e muita interatividade tem seu último final de semana de exibição, na Caixa Cultural.

Dividida em seis alas diferentes, a mostra reúne material variado sobre o tema, como textos, livros, fotos, vídeos, registros sonoros e saraus. “O objetivo é tirar a poesia do pedestal e mostrar às pessoas que ler e escrever poesia é uma possibilidade para todos”, revela Lucas Viriato, curador da exposição. Para isso, alguns setores são preparados especialmente para a interação direta com os visitantes, aproximando o leitor do poeta e muitas vezes mesclando e invertendo esses papéis.

A ideia principal é que não seja uma coisa engessada, parada, imutável. Não só a interatividade é oferecida, como a constante mudança e alimentação da exposição ao longo do tempo, subvertendo a ideia de que uma mostra só pode ter obras clássicas e antigas e possibilitando que seu texto fique ao lado de outros de consagrados poetas.


poesia agora 3

Em um dos espaços, é oferecido um convite-desafio: escrever um poema sem utilizar uma determinada vogal. Os mais criativos são impressos em formato de lambe-lambe e ficam expostos na mostra. Em outro, chamado Escriptorium, a brincadeira é empilhar livros de diferentes formas em uma grande mesa. Cada livro possui uma palavra na lombada, o que possibilita a criação de um poema. Dentro de cada livro, existem oito poemas. As outras páginas estão em branco e disponíveis para registros de novas poesias.

Serviço
Local: Caixa Cultural – Av. Almirante Barroso, 25 – Centro
Data: Até 6 de agosto
Horário: das 10h às 21h
Entrada gratuita
Classificação livre

Mais informações, aqui!

Fotos: Divulgação (Ulisses Dumas)