ARREDORES DO RIO

O que você acha de um programa que une cultura, arte e um cenário paradisíaco? Essa é a Flip!

Desde 2003, a Flip oferece uma experiência única, voltada para leitura, em Paraty. Focada na diversidade e conectada com o município onde acontece, a festa pode ser considerada uma manifestação cultural, um verdadeiro patrimônio de cultura do Rio.

Além de uma programação bem diversificada e encontros entre autores que geram ricas conversas sobre múltiplos temas, como teatro, cinema e ciência, os organizadores estão sempre focados em manter a originalidade, o intimismo, a informalidade. A ideia é proporcionar o encontro singular entre escritores e público e, acima de tudo, ações de permanência. O programa da festa inclui ainda Flipinha, FlipZona e FlipMais, com atividades que misturam literatura infantojuvenil, performance, debates, artes cênicas e visuais, agradando a todos os gostos, públicos e idades. Em cada edição um autor brasileiro é homenageado com o objetivo de preservar, perpetuar, difundir e valorizar a língua portuguesa e a literatura do Brasil.

flipinha3
Flipinha

Salman Rushdie, Don DeLillo, Ariano Suassuna, Isabel Allende, Neil Gailman, Toni Morrison e Chico Buarque são alguns escritores convidados que já participaram da festa. Mas além dos gigantes, a nova geração também é parte fundamental da programação e tem seu lugar cativo em Paraty. O homenageado desse ano será Lima Barreto e seus eixos temáticos serão apresentados a partir de um vigoroso time de escritores e escritoras.

Toda essa programação em um cenário de tirar o fôlego já fez com que mais de 20 mil pessoas estivessem no evento em 2015. Só na Praça do Telão, onde se assiste gratuitamente à transmissão ao vivo da programação principal da Flip, foram mais de 10 mil visitantes. Só para fazer a FLIP acontecer, são mais de 500 profissionais envolvidos. São muitos amantes do livro em um lugar só!

A 15ª Festa Literária Internacional de Paraty começa essa semana, na quarta-feira (26) e vai até o domingo (30). O charme de Paraty combinado com a variada programação da Flip torna o passeio uma deliciosa experiência cultural.

Para saber mais sobre a Flip, clique aqui!

Aproveitamos para juntar algumas dicas de restaurantes, alambiques (a cachaça é patrimônio da cidade!), praias e trilhas para você mergulhar sem medo neste delicioso canto do Rio.

le-gite-dindaiatiba (prato)
Le Gite d’Indaiatiba

PARA COMER
Em Paraty você pode experimentar o melhor da gastronomia caiçara e também da internacional.
– Banana da Terra
Inaugurado em 1992, o restaurante oferece a culinária caiçara com novos conceitos.
Rua Dr. Samuel Costa, 198 – Centro Histórico
(24) 3371-1725
– Casa Coupê
Uma casa moderna e confortável na esquina mais movimentada de Paraty.
Praça da Matriz, s/nº – Centro Histórico
(24) 3371-6008
– Le Gite d’Indaiatiba
Vale a pena o passeio um pouco mais longo. A 16 km de Paraty essa pousada tem um restaurante francês cercado por área verde. Enquanto aguarda a comida o cliente pode aproveitar a cachoeira.
Rodovia Rio-Santos (BR-101) Km 562 – Graúna
(24) 99999-9923
contato@legiteindaiatiba.com.br

engenho douro
Engenho D’Ouro

ALAMBIQUES
Paraty foi a mais importante região produtora de pinga no Brasil Colônia. Dizem que na época todos pediam uma dose de “paraty” quando desejavam uma simples cachacinha.
Dos mais de cem alambiques que funcionaram lá a partir de meados de 1700, a cidade conta hoje com sete. Escolha ao menos um e delicie-se! Cachaça artesanal, cachaça popular, cachaça com cravo e canela. Tem para todos os gostos. E os alambiques são lindos, alguns no meio da mata, outros de frente para a baía de Paraty.
– Cachaça Coqueiro
Fazenda Cabral, 2° Distrito
contato@cachacacoqueiro.com.br
(24)3371-0016
– Cachaça Corisco
Bairro do Corisco,S/N – 1º Distrito
(24) 3371-0894
– Cachaça Maria Izabel
Sítio Santo Antônio – Corumbê
contato@mariaizabel.com.br
(24) 99835-8814 ou 99999-9908
– Cachaça Paratiana
Estrada Da Pedra Branca KM1, nº 1.100 – Bairro Pedra Branca
alambiqueparatiana@gmail.com
(24) 3371-9620
– Cachaça Pedra Branca
Estrada da Pedra Branca, km 01 – Ponte Branca
(24) 7835-4065
– Cachaça Maré Cheia
Estrada do Jacú, s/n
(24) 3371-9377
– Cachaça Engenho D’Ouro
Rodovia Parati-Cunha, 7833, Km 8
edengenhodouro1@gmail.com
(24) 998327339 ou (24) 988161612

ilha-comprida
Ilha Comprida

PRAIAS
As praias de Paraty, cercadas de verde, são quase pinturas de tão bonitas. Pelas trilhas e por passeios de barco você pode conhecer diversas e esquecer da vida em paisagens selvagens. Escolhemos algumas:
– Praia da Lula
Acesso de barco. Menos movimentada, águas calmas e areia clara. Sem restaurantes.
– Ilha Comprida
Acesso de barco. Não tem faixa de areia e é um aquário natural. Água clara e quente.
– Ilha do Pelado
Acesso de barco (a partir da Praia de São Gonçalo). Águas claras e rasas. Quiosques servem bebidas e petiscos.
– Paraty Mirim
Acesso de barco ou carro. Águas calmas e claras e com uma bela igrejinha do século XVIII (Nossa Sra. da Conceição). A construção é o que sobrou da época em que o local era porto de desembarque de escravos.
– Prainha
Acesso a pé ou de carro. Pequena, com areias finas e claras. Localizada em uma vila de pescadores a 10 KM de Paraty.
– Jabaquara
Acesso a pé ou de carro. Mar calmo e escuro. Boa para passear de caiaque, que pode ser alugado lá mesmo. Durante o Carnaval é ponto de encontro do Bloco da Lama

SacoMamangua
Saco do Mamanguá

TRILHAS
Dentro da Mata Atlântica, localizada em área de proteção ambiental, Paraty é o paraíso para os trilheiros. Há diversas opções, de trilhas rápidas e leves a travessias de vários dias. É indicado ir sempre com um guia da região.
– Praia do Meio-Cachadaço
Grau de dificuldade: leve.
Caminhada curta por duas das praias mais bonitas de Trindade. Atravessa duas elevações de mata e a Praia do Cachadaço e chega na piscina natural onde as pedras represam a água do mar. Boa para a prática de snorkel.
– Caminho do Ouro
Grau de dificuldade: médio.
É uma velha trilha dos índios Guaianás, que se tornou uma das mais importantes vias de entrada para o interior, ligando o litoral a Minas Gerais: o Caminho do Ouro ou Estrada Geral da Serra do Mar. Hoje é referência do turismo histórico e ecológico, com ruínas e cachoeiras. É proibido visitar sem a presença de um guia cadastrado na Secretaria de Turismo de Paraty e credenciado pela EMBRATUR.
– Paraty-Mirim – Saco do Mamanguá
Grau de dificuldade: pesado.
O único fiorde brasileiro e principal berçário marinho da região. A biodiversidade do local é impressionante: muitas espécies de árvores, bromélias e flores e, no mangue, podem ser vistos diversos pássaros e caranguejos. Só é permitido entrar na área de mangue com embarcações sem motor, como caiaques e canoas. Boa oportunidade para se embrenhar na natureza e conhecer as vilas caiçaras.