Por Laura Souza

O Trapiche Gamboa é o reduto do samba de roda. E não poderia ser diferente! O sobrado que conserva a arquitetura de 1857 está situado entre a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo do Prainha. O Trapiche não se define como “casa de shows” ou “boate”. Com a originalidade dando o tom maior, eles se descrevem como um despretensioso bar, onde gente de bom gosto encontra a cerveja mais gelada, a caipirinha mais perfeita e o tira gosto mais esperto, ao som do mais puro e verdadeiro samba carioca.

E samba carioca combina com o quê? Ou melhor, com quem? Nilze Carvalho. Em sua carreira solo, a sambista comanda pela primeira vez uma roda de samba e não poderia haver melhor lugar.

Nilze aquece seu cavaquinho e o bandolim hoje (15/12) e traz um repertório recheado de clássicos, como Não deixe o Samba Morrer, Gostoso Veneno, Acreditar, Mineira, e canções dos seus últimos três álbuns, Estava Faltando Você, O que é Meu e Verde Amarelo Negro Anil. Para acompanhá-la, um time de primeira: Hudson Santos (violão 7 cordas), Luiz Augusto (percussão), Paulino Dias (percussão), Magno Julio (percussão).

É para sambar, sambar, não descansar e ficar zangada(o) quando o dia clarear!

 

Informações do Local:

Rua Sacadura Cabral, 155 – Gamboa

2516-0868

Sexta (15/12), a partir das 19h30