Por Laura Souza

José Carlos de Brito e Cunha, mais conhecido como J. Carlos, é autor de uma das mais poderosas crônicas visuais do Brasil na primeira metade do século XX – obras que somam mais de 50 mil desenhos, caricaturas, charges, cartuns, alfabetos tipográficos, vinhetas, publicidade, enfim, todo o universo gráfico das primeiras revistas ilustradas do Brasil.

O artista ganhou uma belíssima (e merecida!) homenagem do Instituto Moreira Salles. “J. Carlos: Originais” ocupa a Galeria Marc Ferrez do IMS e tem curadoria de Cássio Loredano, Julia Kovensky e Paulo Roberto Pires. A exposição conta com instantes decisivos da longa e variada produção dele em 290 desenhos da extensa coleção de Eduardo Augusto de Brito e Cunha, filho de J. Carlos.

O acervo de Eduardo também possui coleções encadernadas das publicações em que seu pai atuou, como Careta, Para Todos, Fon-Fon e Almanaque Tico-Tico. Através dos originais, muitas vezes com preciosas anotações, a mostra pretende não apenas expor alguns dos temas mais recorrentes do artista, mas também mostrar o caminho (desconhecido para leigos) que as ilustrações fazem da prancheta para as páginas. Um percurso que fica claro quando se vê lado a lado o original e a página da revista.

A exposição está em cartaz até domingo (19/11). Uma excelente oportunidade para conferir a contribuição histórica do artista, que foi um dos primeiros representantes do modernismo no Brasil. O humor ácido e sagaz de J. Carlos definitivamente merece um espaço na sua agenda!

Informações do Local:

Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea

3284-7400


Terça a domingo, das 11h às 20h